Projeto de Pesquisa

 

Gestão do Patrimônio Cultural Paulista é o nome do projeto de pesquisa financiado pela FAPESP (2008-2010) que se propôs a efetuar o levantamento dos instrumentos de gestão do patrimônio cultural dos diversos municípios do estado de São Paulo, municípios estes que possuam ou não órgãos locais com a finalidade de cuidar, zelar e proteger os seus bens patrimoniais históricos e culturais. Assim, ao longo do projeto de pesquisa formamos um banco de dados digital com a finalidade de se tornar referencia, subsídios, fontes de apoio para os municípios paulistas e demais interessados no tema, como pesquisadores, profissionais com atuação na área ou mesmo o público leigo. As razões principais dessa iniciativa foram as diversas e diferentes observações e/ou constatações junto ao CONDEPHAAT como a ausência de articulação entre as instâncias oficiais que tratam da questão. Destacamos também que o processo de crescimento das cidades do interior paulista, que em busca do seu desenvolvimento, permitiram e ainda permitem que sejam destruídos parte do patrimônio cultural local, principalmente os representados por edificações de diferentes épocas históricas. Também entendemos que esse banco de dados digital poderá ser ainda como forma de esboçar uma tentativa de enfrentar esse processo, com a possibilidade de disseminar práticas mais adequadas ao desenvolvimento tendo em conta noções de educação patrimonial, como os cuidados de conservação e preservação do patrimônio cultural paulista a partir da gestão local.

Objetivos

O projeto de pesquisa “Gestão do Patrimônio Cultural Paulista” se propõe a:

Levantar o acervo sobre instrumentos de gestão do patrimônio dos municípios do Estado de São Paulo, que disponham ou não de órgão local de preservação;

Proceder à sistematização dos instrumentos municipais de gestão do patrimônio cultural;

Formar banco de dados digital, acessível ao público interessado, com possibilidades de articular políticas públicas municipais;

Gerar subsídios que possam fundamentar a formulação de políticas públicas de gestão e conservação do patrimônio cultural, compartilhar as experiências com os municípios que não detenham competência técnica.